Como identificar e fugir dos buracos no mar

buracos

No fim do ano todo mundo adora pegar uma praia, mas existe um alerta a ser feito: Pesquisas mostram que as correntes de retorno (buracos ou valas) são a principal causa de afogamento na costa brasileira.

As correntes de retorno variam em tamanho, largura, profundidade, forma, velocidade e potência. Elas são formadas, geralmente, da seguinte maneira: Quando as ondas quebram, elas empurram a água acima do nível médio do mar. Uma vez que a energia da água é despendida, a água que ultrapassou aquele nível médio é empurrada de volta pela força da gravidade. Quando ela é empurrada de volta, contudo, mais ondas podem continuar a empurrar mais água acima daquele nível médio, criando o efeito de uma barreira transitória (temporária). A água de retorno continua a ser empurrada pela gravidade, e procura o caminho de menor resistência, formando os buracos.

buraco na praia
Exemplos de corrente de retorno

Por isso muita ATENÇÃO, quando você identificar essa ausência ou menor quantidade de ondas no mar, é sinal que existe uma corrente de retorno ( buraco ). É exatamente neste local que volta em direção ao mar, toda a energia que as ondas e correntes chegam à praia, exercendo uma forte pressão e carregando com facilidade quem estiver se aventurando no local.

Por isso as bandeiras vermelhas dos Guardas Vidas não são enfeites, são para respeitá-las.

As correntes de retorno (buracos) possuem alguns “sinais” característicos. São eles:

Água marrom e descolorada, devido à agitação da areia do fundo, causada pelo retorno das águas;
Água com tonalidade mais escura, devido à maior profundidade, sendo atrativas para banhistas desavisados;
Água mais fria após a linha de arrebentação, significando o retorno de águas mais profundas;
Ondas quebram com menor frequência ou nem chegam a quebrar, devido ao retorno das águas e à maior profundidade;
Local onde ocorre a junção de duas ondas provindas de sentidos opostos;
Local por onde os surfistas entram no mar;

Como escapar das correntes de retorno ?

corrente-de-retonro



O primeiro passo é manter a calma; (o pavor gasta energia e ainda pode beber água, não gaste energia remando contra a maré; (remar na direção do mar dentro de um canal é inútil, nem os Guarda Vidas farão isso, que dirá você)

Olhe para os dois lados em sua volta para determinar a direção que está mais perto para você sair da corrente; (perceba qual dos dois bancos de areia estão mais próximos)

Nade lateralmente, em sentido paralelo à areia da praia, até sair da corrente; (nunca em direção à praia, pois será inútil, reme para as ondas, por incrível que pareça, são elas que te devolverão à areia).

Quando sentir que já está na zona das ondas (de impacto), sem a correnteza lhe puxando, aí sim comece a nadar em direção à praia. Com essas dicas você evita se afogar e ainda curte melhor a praia.