Economista sugere que chineses pobres partilhem mulheres

chineses

Para o economista Xie Zuoshi, da Universidade de Zhejiang, a solução para o desequilibro entre gêneros passa pela partilha de mulheres nas comunidades mais pobres da China. Na China, nascem 118 meninos por cada 100 meninas e, segundo estudos acadêmicos citados pela BBC, em 2020, haverá entre 30 a 40 milhões de homens sem uma companheira.

Segundo o economista o movimento de mulheres das zonas rurais para as grandes cidades favorece os homens com mais poder econômico e prejudica os homens mais pobres na hora de arranjar uma companheira.

“Não se trata de um devaneio meu. Em áreas remotas e pobres já há casos de irmãos que se casam com a mesma esposa e vivem em harmonia”, diz o economista, em um estudo publicado na semana passada e avançado este sábado pela BBC.

A divulgação do estudo na Comunicação Social chinesa gerou a indignação de várias mulheres, especialmente, ativistas pelos direitos femininos. Mas o economista Zuoshi, responde as ativistas : ” Imoral para mim é deixarmos que 30 milhões de homens vivam sem mulheres e sem esperança. São esses homens que podem cometer violações, crimes e terrorismo. Isso é moral para vocês? “