Aterros podem gerar energia

O lixo é algo inevitável, mas agora estão sendo consideradas possibilidades para uso do lixo para geração de energia, que pode beneficiar 1,5 milhão de pessoas.

Os aterros sanitários brasileiros possuem um potencial energético de 280 megawatts (MW) que podem ser produzidos a partir do aproveitamento do biogás, o metano obtido por meio da decomposição do lixo. A conclusão é do “Atlas Brasileiro de Emissões de GEE (gases de efeito estufa) e Potencial Energético na Destinação de Resíduos Sólidos”, um estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe)

Mas para que esse potencial se transforme efetivamente em energia, ainda é necessário um investimento de quase R$ 1 bilhão, segundo o diretor executivo da Abrelpe, Carlos Silva Filho.

Destinação inadequada

O estudo, realizado com apoio da EPA (Environmental Protection Agency, a agência ambiental dos Estados Unidos) e da Global Methane Initiative, mostra o potencial de aproveitamento do lixo no Brasil, que em 2011 gerou 198 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos por dia.

São 62 milhões de toneladas ao ano, das quais 11% não chegam sequer a ser coletadas, e outros 41% (75 mil toneladas diárias) ainda têm destinação inadequada, indo parar em lixões ou aterros sem condições seguras de proteção ao meio ambiente.


Gramacho

O aterro de Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, teve suas atividades encerradas em junho do ano passado, às vésperas da Rio + 20, a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável.

Gramacho já hospeda uma empresa privada que investiu mais de R$ 250 milhões no local para poder explorar a energia do lixo, ou seja, o biogás resultante do mesmo processo de decomposição da matéria orgânica do lixo que resulta no aparecimento do chorume.
Por contrato, a empresa se comprometeu a fornecer para a Refinaria Duque de Caxias (da Petrobras) 70 milhões de m³ de biogás por dia pelos próximos 15 anos. Esse volume de gás, que seria suficiente para abastecer todas as residências e todos os estabelecimentos comerciais do Estado do Rio, vai suprir 10% da demanda energética da Reduc.

O biogás será retirado com a ajuda de 300 poços (260 já foram instalados), que bombearão o combustível até uma estação de tratamento construída no próprio aterro. Ali, o gás será limpo, seco e bombeado através de um gasoduto de 6 km de extensão até a refinaria (pelo menos 1,2 km de tubulações passarão debaixo de áreas de mangue e rios). A operação será iniciada ainda neste primeiro semestre.

Veja o processo:

Lei dos resíduos sólidos

O cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada em 2010 e prevista para entrar em vigor em agosto de 2014, trará uma revolução para o setor no país, na opinião do diretor executivo da Abrelpe e, se cumprida integralmente, poderia elevar para 500 MW a capacidade instalada em 2039.

No entanto, o cumprimento da PNRS esbarrará em um problema: 91% dos municípios brasileiros não tinham planos para a destinação correta de resíduos sólidos em 2012, 1.607 ainda depositavam todo o lixo recolhido em lixões e 2.358 não tinham nenhuma inciativa de coleta seletiva.


Você sabia ?

O metano é entre 20 e 23 vezes mais danoso para a atmosfera do que o dióxido de carbono, ou C02