Os 7 medos mais comuns das crianças

É na infância que uma série de medos são criados, sendo que alguns deles podem permanecer a vida toda. O desafio dos pais é tranquilizar e estimular os filhos a enfrentarem temores reais e também os imaginários. É natural que as crianças sintam medo. Ele é um alerta de que algo ameaçador pode acontecer e evita que o ser humano corra riscos desnecessários.

Os medos das crianças não têm necessariamente relações com a realidade, mas é uma interpretação que os pequenos fazem dela. E os medos começam bastante cedo, veja alguns :

De 0 a 6 meses: Barulhos intensos/luzes intensas
De 7 a 12 meses: Pessoas estranhas / Imprevistos / Objetos
2 anos: Ser abandonada pelos pais/ Barulhos / Animais / locais estranhos

Conheça agora os 7 medos mais comuns de todas as crianças:

1. Medo do bicho papão ou fantasma

bicho papao

Uma coisa é fato: o escuro favorece a imaginação das crianças. Nesse cenário, vultos e sons podem se transformar em figuras amedrontadoras na cabeça delas. Explique a criança que ela não está sozinha em casa, que você está sempre por perto e que nada de mau lhe irá acontecer.

2. Medo da escola

escola

Crise de choro, dores, vómitos… O seu filho costuma apresentar alguns desses sintomas antes de ir para a escola? Isso pode ser sinal de fobia escolar. A fobia escolar é caracterizada como o medo incontrolável do desconhecido, ou seja, dificuldade de se adaptar a um novo espaço sem a presença do vínculo familiar. O transtorno pode, ainda, estar associado a alguma mudança significativa na vida da criança, como troca de turma ou de escola e maior exigência acadêmica conforme o aluno avança de ano.

3. Medo de ficar sozinho ou ser abandonado

sozinha

A criança pode se sentir desamparada quando percebe que ficará sozinha ou não há alguém da família por perto. Se você precisar deixar o seu filho sozinho, na escola ou com um familiar ou mesmo uma babá, não minta. Explique que vai precisar de sair para resolver alguma coisa, mas que já irá voltar. Virar as costas e sair só piora a situação. Os pais devem ajudar a criança a se vincular com quem fica com ela em casa.


4. Medo de sentir dor

dor

Dentista, médico e injeções podem fazer surgir o medo de sofrer dor. Contar exatamente o que irá acontecer faz com que a criança consiga lidar melhor a situação. Os especialistas são unânimes em reconhecer que a criança precisa aprender a confiar nos pais e se sentir amparada em todas as situações. E se você mentir uma vez e disser que não vai doer nada, da próxima vez a criança já não vai confiar em si.

5. Medo do escuro

escuro

Se o eu filho sente medo do escuro, sente-se com ele na cama e apague as luzes. Mostre que nada mudou e tente identificar os móveis em volta, mostrando que nenhum deles significa uma ameaça, ou que assume formas estranhas.

6. Medo de Papai Noel ou de Palhaços

natal

Jamais ignore quando o seu filho lhe disser que sente medo de algum personagem do imaginário infantil. Tenha paciência e dê atenção até que ele lhe consiga explicar o que o assusta. O Papai Noel e palhaços são um dos medos mais comuns. Não tente estar sempre a confrontá-lo com o medo de forma a tentar que desapareça. Prefira agir de forma natural.

7. Medo de animais

medo de animais

A causa mais comum do medo exagerado de uma criança em relação a um animal é o fato de ela já ter sido mordida por ele ou ter visto algo assustador em relação ao animal. Neste caso, o desafio do pai será auxiliar a criança a entrar em contato com o animal de forma segura, aos poucos e respeitando os limites da criança.