Cão à beira da morte consegue levar dona para o altar

Charlie parecia muito feliz no casamento

Kelly O’Connell adotadou Charlie Bear quando ele era apenas um filhote, e são amigos fieis desde então, mas no inicio do ano Kelly descobriu que seu amigo estava doente e tinha pouco tempo de vida, e não poderia leva-la ao altar no dia de seu casamento.

Charlie enfrentava um tumor no lado direito do cérebro, perto do casamento ele teve 5 convulsões e parecia estar sofrendo muito, com os corações destroçados, Kelly e o noivo James decidiram colocar fim no sofrimento do seu melhor amigo. “Na verdade, eu já tinha visto um local para alguém sacrifica-lo, pois, na semana antes do meu casamento, ele tinha ficado muito mal e eu não queria mais aquilo para ele”, contou”. “Do nada, ele melhorou. Foi como se tivesse dito ‘eu quero ver isso (o casamento)'”, revelou kelly ao jornal The Washington Post.

cachorro-casamento
Charlie parecia muito feliz no casamento

cachooro-feliz

Inacreditavelmente, o velho amigo de Kelly não teve mais nenhuma convulsão, nem qualquer problema para andar, e foi para o casamento da amiga. Kelly e James se casaram no dia 1 de Setembro. “Foi impossível não chorar quando Charlie andou na minha direção”, disse Kelly.


Veja também : Novidades da Natura para 2018, (acesse aquii)

cao

Charlie estava cansado demais para andar de volta, então Katie Lloyd, uma das madrinhas e irmã da noiva, carregou o ser vivo de 37 kg em seus braços, de volta para descansar um pouco, emocionando a todos, inclusive o fotografo Jen Dziuvenis, que escreveu em um post no Facebook. “Protetores dos animais são as melhores pessoas.”

cachorro

Kelly descreveu as fotos do casamento como “de valor inestimável, absolutamente impagável.”

Curta mais histórias >



Você achou útil ?

0 pontos
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

carta

Carta de um homem sobre nude de Paulo Zulu e programa do Rodrigo Hilbert

ataque cardiaco

5 sinais que você está prestes a ter um ataque cardíaco