Morar na região metropolitana ou na capital? Conheça os prós e contras

capital

Vale a pena morar em uma grande capital brasileira? Morar uma cidade grande, com oferta de melhores serviços e comércio costumava ser o desejo de boa parte da população de grandes estados como São Paulo. No entanto, esse panorama está mudando e uma quantidade maior de pessoas está fazendo o caminho oposto, trocando a capital por cidades menores, mas próximas de São Paulo.


Natura faz megapromoção relâmpago com produtos premiados: (Veja aqui)

O que é melhor? Uma casa ou apartamento com espaço maior na Grande São Paulo ou um apartamento minúsculo no centro da principal cidade do Brasil? Vale mais a pena estar próximo de grandes serviços e da agitação de São Paulo ou a vida mais calma e tranquila de Osasco? É claro que tudo vai depender de pessoa para pessoa.

Vamos entender o porquê das regiões metropolitanas crescerem mais que as próprias capitais nos últimos anos, pontuando os prós e os contras. Além disso, tentar perceber quais critérios tornam a capital ainda um lugar vantajoso para morar, apesar de diversos problemas, para a moradia de determinadas pessoas.

Capitais saturadas e violentas afugentam moradores

Não há dúvida de que as capitais brasileiras encontram-se saturadas. Os altos preços dos imóveis, o elevado custo de vida, o processo de expansão de residências precárias, a violência crônica, o desequilíbrio na oferta e demanda por empregos e de casas e apartamentos, entre outros motivos, são marcas da desordem urbana das nossas metrópoles.

O resultado é a queda da qualidade de vida da maioria da população que reside nas capitais brasileiras. Exemplar neste sentido é São Paulo, seu rápido crescimento desordenado resultou em uma cidade caótica marcada por recordes do tempo de deslocamento casa-trabalho (home-to-work) dentro de uma mesma cidade.

O estresse e o alto custo da metro quadrado nas capitais brasileiras são os principais motivos para o crescimento das regiões metropolitanas. As indústrias e as empresas, que fogem desses preços elevados, desempenham dois papéis importantíssimos na região metropolitana: geram empregos e cursos de qualificação de mão de obra. Esses dois fatores acabam se tornando atrativos para parte da população desempregada da capital, que busca novas oportunidades e condições mais dignas de vida.

Isso também acaba por atrair novos investimentos privados, sobretudo do setor de construção civil. Essas novas dinâmicas tornam as regiões metropolitanas espaços em franca expansão econômica, tendo boa oferta de empregos e possibilidades de abrir novos negócios – alguns deles inviáveis dentro da concorrência da capital que privilegia as grandes empresas.

Em São Paulo, Santo André e Osasco atraem moradores em busca preço menor e maior qualidade de vida

O estado de São Paulo possui a maior região metropolitana do Brasil, recebendo uma quantidade considerável de migrantes da cidade paulista. Essas pessoas procuram nessa área tranquilidade, preços mais acessíveis, residências espaçosas e um sentimento maior de segurança. E elas podem encontrar imóveis deste perfil em cidades como Osasco e Santo André.

O mercado está, claro, de olho neste oportunidade de investimento. A construtora Mitre, por exemplo, está lançando 2 empreendimentos para atender a este público. O LivePark Santo André e o Les Champs, que fica na Vila São Francisco, em Osasco. São empreendimentos com apartamentos novos, que oferecem mais lazer e conforto para seus moradores.

São Paulo oferece ampla gama de serviços e comércio e é ótima para quem busca emprego

A região metropolitana é uma boa opção para aqueles que buscam emprego e para os que aspiram melhores condições de vida. Embora a capital paulista enfrente muitas dificuldades já citadas, ela ainda é uma das principais cidades do Brasil. Poucas cidades terão tanta oferta de serviços e comércios.

Não podemos nos esquecer da ampla gama de possibilidades de lazer dentro de uma capital. Além disso, serviços diferenciados e extremamente qualificados dificilmente serão encontrados fora de São Paulo, uma vez que precisa de um bom contingente de pessoas para gerar alguma demanda, sendo impraticável dentro de algumas cidades da Grande São Paulo.

Dependendo do tipo de emprego que a pessoa possui a capital pode ser mais vantajosa. Os Empresários, por exemplo, precisam estar próximos das sedes dos principais bancos e empresas do país (que apesar de ter mudado a fábrica para fora da cidade, o escritório principal continua na capital).

As melhores escolas e universidades do Brasil encontram-se dentro das suas capitais, e São Paulo possui várias nos topos dos rankings educacionais. Logo, dependendo da profissão escolhida, morar com os paulistanos pode ser uma boa opção para se preparar para o mercado de trabalho. Ademais, os salários dentro da capital tendem a ser maiores do que da região metropolitana, devido à exigência maior para os cargos disponíveis.

Portanto, se você possui possibilidade de alcançar altas pretensões salariais e deseja ter acesso a uma grande variedade de serviços, morar na capital pode ser uma opção interessante. Há também o caso da pessoa residir numa cidade da região metropolitana e trabalhar na capital.

Essa alternativa consegue conciliar vantagens com desvantagens, como: salários maiores com o afastamento da alta criminalidade. Além desse, existe também o tempo de deslocamento diário alto, consumindo muitas horas por dia, mas permitindo a família morar numa residência mais confortável como os empreendimentos da Vila Matilde e Vila São Francisco.

Sendo assim, cada família precisa considerar suas necessidades e seu entendimento sobre o que considera qualidade de vida, e assim escolher sua moradia.

Inscreva-se em nosso canal e acompanhe nosso conteúdo também pelo YouTube