Saiba como utilizar as cintas de elevação com segurança

cintas de elevação

Para realizar tarefas que priorizam a segurança, como içar objetos pesados, é muito importante utilizar uma boa técnica e ferramentas resistentes e de qualidade. Ao mesmo tempo, tem que se tomar cuidado para não causar avaria na carga e evitar acidentes com quem está executando o serviço.

Os cabos de aço eram os materiais mais usados para realizar esse tipo de trabalho, principalmente devido à resistência e durabilidade do material. Com o tempo novas técnicas foram desenvolvidas e podemos dizer que a cinta de elevação é o produto mais adequado para executar esse tipo de serviço.

Benefícios da cinta de poliéster

As vantagens são a resistência e longevidade do material, como acontece com o cabo de aço e na facilidade de manusear e guardar a ferramenta. O preço também é um fator bastante atrativo, já que as cintas são fabricadas em poliéster, um produto bem mais barato que o aço.

A cinta de elevação serve para segurar e fixar a carga, garantindo estabilidade quando transportada por guindastes e similares. Como é feita de material bem flexível, não deixa marca ou provoca arranhões na carga e, lógico, possui a firmeza necessária para suportar o peso.  Existem vários modelos de fitas e a escolha ideal depende de algumas características do carregamento como:

  • Peso
  • Dimensões
  • Formato
  • Natureza do material

Formas de utilização da cinta de elevação

Após identificar as características do que está sendo carregado, começa a etapa crucial do processo que é a escolha do tipo da cinta de elevação. Em muitos casos é necessário usar mais cintas formando um conjunto. Nestas situações, é imprescindível usar todas com modelos iguais.

Primeiramente deve-se determinar a CMTE (Carga Máxima de Trabalho Efetivo), que é a capacidade que uma cinta ou conjunto de cintas possui para sustentar uma carga em um modo de uso estabelecido. O resultado é obtido pelo peso total da carga (CMT) multiplicado pela Forma de Uso (FU). Para facilitar a vida do usuário, as cintas possuem cores de fábrica que revelam a relação entre o CMT e o FU por meio de uma tabela encontrada nas lojas ou e sites de vendas de cintas de elevação.

Outros fatores, como a inclinação da carga içada, também contribuem para escolher o tipo de cinta, tendo em vista que nenhum lado pode exercer uma força maior que o conjunto de cintas possa suportar. A sobrecarga não pode existir em operações com guindaste, então para evitar o esforço extra na amarração, a cinta de poliéster foi dividida em duas categorias de elevação para carga: plana e tubular. No mercado é possível encontrar vários modelos para trabalhar tanto com carga plana como tubular, confira os principais:

  • Sling
  • Bag
  • Flat
  • Grab
  • Anel
  • Tecno
  • Pipe

Cuidados na hora de utilizar as cintas de elevação

No momento da compra é bom examinar se os produtos estão de acordo com as normas Nacional (NBR 15637:2012) e Internacional (EM 1492) para garantir que a cinta de elevação seja de boa qualidade. Geralmente essa informação está contida em uma etiqueta ou corpo do produto.

Alguns passos devem ser seguidos na hora de usar o utensílio, como escolher o modelo certo para cada tipo de carga e observar se algum canto vivo ou extremidade do carregamento esteja danificando a cinta. Isso é importante para garantir a integridade e resistência do equipamento.

Verifique se o objeto içado vai derramar algum líquido como óleo ou produto corrosivo na cinta para não prejudicar a amarração e evitar acidentes com as pessoas envolvidas na tarefa. Nunca amarre uma cinta na outra. Se for necessário unir as partes ou produzir um conjunto sempre utilize acessórios apropriados como:

  • Manilha
  • Grampo
  • Ganho
  • Elos
  • Conectores